Notícias

INAUGURAÇÃO, EM AVEIRO, DA TERESA™

Logo teresa
A Ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território, Dulce Álvaro Pássaro, inaugurou no dia 30 de Março, a primeira Turbina de Energia Renovável Em Sistema de Abastecimento - TERESA TM -, junto ao Reservatório R6, situado no Concelho de Aveiro.
 
A TERESA TM (Turbina de Energia Renovável em Sistema de Abastecimento), decorre da iniciativa, e de um projecto, desenvolvido pelo CONSÓRCIO SPHERAA/LUSÁGUA, constituído em Abril de 2009, sendo uma promoção conjunta deste Consórcio, da Associação de Municípios do Carvoeiro-Vouga (enquanto proprietária do sistema de abastecimento) e da Águas do Vouga, S.A.(enquanto empresa Concessionária do sistema de abastecimento da associação de municípios).
 
“ A TERESA TM permite converter uma má energia, resultante da pressão em excesso nas redes de abastecimento (que terá de ser retirada), em boa energia, uma vez que a pressão excessiva é utilizada a produção de energia eléctrica que é injectada na rede energética nacional, adicionando valor”, afirmou o Eng. José Teixeira, Presidente do Conselho de Administração do Grupo AQUAPOR.
 
A Ministra do Ambiente e do Ordenamento do Território, Dulce Álvaro Pássaro, salientou a importância do projecto TERESA TM referindo que irá contribuir para a diminuição da tarifa dos utilizadores, para a diminuição das emissões de CO2 na região e no País, através da replicação do conceito, referindo ainda que o Ministério do Ambiente irá apoiar a construção de quatro novas instalações semelhantes, no Litoral Norte (Póvoa do Varzim), no Alentejo (Sines) e no Algarve (Silves).
 
Apesar de ser um investimento de relativamente "pouca monta", A Ministra Dulce Álvaro Pássaro acentuou que se trata de um projecto com "um grande valor como mensagem e como apontar de caminhos".
 
Segundo o Eng. Diogo Faria de Oliveira, Presidente do Concelho de Administração da Luságua (empresa participada pelo Grupo AQUAPOR, ao qual pertence a Águas do Vouga, S.A.), “a TERESA TM enquadra-se na estratégia do Grupo AQUAPOR de máxima rentabilização da eficiência energética, estando a ser analisados os diversos sistemas de abastecimento detidos pelo Grupo, com vista à identificação do potencial existente para outros investimentos semelhantes”.